Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
pontos de vista
artigos de revisão

artigos de opinião

editoriais

entrevistas

divulgação geral

divulgação LQES

 
DIVULGAÇÃO

Stradivarius perde o véu de mistério !

Quem, pelo menos uma vez, não teria lido ou ouvido o nome Stradivarius? Isso sem falar daqueles que tiveram o prazer de ouvir o som ma-ra-vi-lho-so de um dos instrumentos de corda - violinos (os mais famosos), harpas, violões, violas ou violoncelos -, assim conhecidos. De um total de mais de 1100 instrumentos fabricados por Stradivarius, cerca de 650 vivem até os dias de hoje.

Antonio Stradivari, mais tarde Stradivarius (1644-1737), célebre "luthier", original de Cremona (Itália), tem hoje seu nome reconhecido como sinônimo de violino de grande valor. Por mais de 250 anos, tanto a geometria quanto o design, propostos por Stradivarius, têm servido como modelo conceitual para a fabricação de violinos.


Antonio Stradivari (Stradivarius) - (1644-1737)


Não foram poucos os que tentaram descobrir o segredo de fabricação de tais instrumentos: tratar-se-ia do verniz utilizado, de um trabalho particular sobre a madeira, do quê, enfim? Para responder a estas perguntas, pesquisadores da Universidade de Colúmbia e da Universidade do Tenessee, ambas nos Estados Unidos, debruçaram-se sobre o assunto, chegando à conclusão que a qualidade acústica dos famosos violinos provém das próprias características da madeira, marcada por um clima sobremodo particular.



A música está no ar!



Estudando os anéis da madeira com a qual foram feitos os instrumentos, reconstituíram a história do crescimento das árvores que lhes deram origem. Constataram que as mesmas tinham conhecido longos períodos invernais, dado que entre a segunda metade do século XV e a primeira metade do século XIX a Europa sofrera um pequeno período de glaciação, com um ponto culminante entre 1645 e 1715, conhecido com o nome de "mínimo de Maunder".


Elegância e Nobreza de um autêntico Stradivarius.


E.W. Maunder foi um astrônomo do séc. XIX que documentou a falta de atividade solar no período em questão.

Ocorre ter sido exatamente entre 1700 e 1720 que os melhores trabalhos do mestre foram executados. Os pesquisadores observaram que os invernos rigorosos são responsáveis por um crescimento bastante lento das árvores, fato atestado também pelos anéis, bastante próximos um dos outros, que acabaram por reforçar não somente a resistência da madeira mas também sua densidade. Tais fenômenos, segundo eles, explicariam o caráter único dos Stradivarius, os quais se destacam por sua insuperável qualidade de som e pela beleza da cor de sua madeira.

(Texto - MIA)

Nota do Managing Editor: Texto produzido a partir de material veiculado pelo jornal US Today, de primeiro de dezembro de 2003. As ilustrações apresentadas não constam da matéria original e foram obtidas em www.google.com.

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco