Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
pontos de vista
artigos de revisão

artigos de opinião

editoriais

entrevistas

divulgação geral

divulgação LQES

 
DIVULGAÇÃO

Primeiro laser óptico completa 48 anos !


A história do descobrimento do laser emitindo na região de ondas luminosas foi muito interessante. Vamos conhecer um pouco da cronologia.



A pré-história

  • Em 1917, Albert Einstein, em seu artigo Zur Quantentheorie der Strahlung (Sobre a Teoria Quântica das Radiações) lançou as bases que conduziriam mais tarde à invenção do maser e finalmente do laser. Com a finalidade de reencontrar a lei de Planck do corpo negro a partir da teoria do átomo de Bohr, Einstein introduziu, pela primeira vez na teoria quântica, as probabilidades para três processos de interação da matéria com a radiação. Mais precisamente, tratam-se dos coeficientes de Einstein para a absorção espontânea e a emissão estimulada.

  • 1928 : Rudolph W. Landenburg confirma a existência da emissão estimulada e, em 1939, Valentin A. Fabrikant (URSS) prediz a utilização da emissão estimulada para amplificação de ondas eletromagnéticas.

  • 1947 : Willis E. Lamb e R. C Rutherford observam a emissão estimulada com o hidrogênio. Em 1950, Alfred Kastler (Prêmio Nobel de Física de 1966), propôs o método de bombeamento óptico, muito importante para a obtenção dos efeitos maser e laser que se seguiram.


A história

Em 1953, Charles H. Townes construiu o primeiro amplificador à microondas, um dispositivo que funcionava com princípios similares àqueles do laser, mas baseado nas microondas e não no infravermelho ou radiação visível. Entretanto, este primeiro maser (Microwave Amplification by Stimulated Emission of Radiation, ou seja, amplificação de microondas por emissão estimulada de radiação) não funcionava em modo contínuo. Foram Nikolay Basov e Aleksandr Prokhorov, trabalhando na então URSS que, pouco tempo antes, resolveram o problema. Em 1964, juntamente com Townes, receberam o Prêmio Nobel.

De modo espantoso, Townes conta que tinha encontrado oposição de físicos do calibre de Niels Bohr, John Neumann e Isidor Rabi que pensavam ser o maser teoricamente impossível!

Em 1958, Charles Townes e Arthur Schawlow publicam um artigo no Physical Review, considerado como o nascimento teórico do laser que, então, denominaram Optical Maser. Em 1959 Gordon Gould propôs o termo laser para Ligh Amplification by Stimulated Emission of Radiation. Gould já pensava nas possíveis aplicações para a fusão controlada.

Esta foi a corrida entre diferentes laboratórios, mas, finalmente, em Malibu, na Califórnia, nasce o primeiro laser óptico, em 16 de maio de 1960. Théodore Maiman utiliza um rubi sintético e obtém um feixe de laser, de cor vermelha, com um comprimento de onda de 694 nm. No mesmo ano o físico de origem iraniana Ali Javan construiu os primeiros lasers funcionando com os gases hélio e neônio.





Théodore Maiman quando dos 25 anos do primeiro laser óptico funcionando com um cristal de rubi.

Créditos: Kathleen Maiman


Futura Sciences, consultado em 18 de maio de 2008 (Tradução - OLA).


 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco