Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
pontos de vista
artigos de revisão

artigos de opinião

editoriais

entrevistas

divulgação geral

divulgação LQES

 
DIVULGAÇÃO

WDL : a Biblioteca Digital Mundial está na Web.


Inaugurada em Paris, a WDL - Biblioteca Digital Mundial -, construída pela UNESCO é, doravante, acessível na Internet. Ela coloca à disposição de todos, documentos raríssimos, atualmente conservados em museus nacionais.

No dia 24 abril de 2009, a WDL - Word Digital Library foi oficialmente inaugurada na sede parisiense da UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação e a Cultura. Iniciado em 2005, o projeto consiste em colocar on-line imagens de documentos de todo tipo, conservados pelos museus nacionais do planeta para seu interesse cultural ou histórico, livros, manuscritos, cartas, fotografias...

Tecnicamente, a WDL foi realizada pela Biblioteca do Congresso (criada em Washington em 1800) com a ajuda da Biblioteca da Alexandria (cuja ancestral era já mundialmente célebre desde os tempos de Cleópatra).

Numerosos países participaram - inclusive o Brasil -, e abriram acesso a uma grande parte de seus patrimônios nacionais. Mas isso não é suficiente! Assim, a UNESCO se lançou em uma campanha de mobilização para fazer com que outras nações se decidam a partilhar seus tesouros.




O Egito e a Arábia: cartografia da empresa britânica John Tallis e Cia., de 1851

Créditos: World Digital Library.



Apresentação muitíssimo visual

No site Web da WDL, já é possível descobrir mais de um milhão de "objetos", segundo o termo utilizado, provindos de todos os continentes (exceto a Antártida, é claro!). O site, bem construído, é proposto em 7 línguas (inglês, árabe, chinês, espanhol, francês, português e russo) e mostra os documentos sob forma visual elaborada. Folheiam-se os livros página por página, pode-se fazer um zoom sobre textos ou fotografias e é possível se deslocar sobre os mapas.

Em compensação, o módulo de pesquisa é, às vezes, enganoso. Em todo caso, é preciso proceder a várias etapas de refino e, sobretudo, não cometer erros de ortografia. Para se encontrar um mapa do Egito, é inútil digitar "mapa Egito" ou "Egito mapa"; "egito", ou mesmo "Egito". Espera-se que esses "erros de juventude" sejam rapidamente corrigidos.

Com Europeana, o equivalente europeu (para o momento, o mais rico), Gallica (biblioteca francesa de manuscritos) e Google Book Search (ex Google Print), sem esquecer as obras completas de Charles Darwin, a WDL contribui para fazer da Web um paraíso para os ratos de biblioteca e uma bela oportunidade de descobertas para todos os outros.





Realizado cerca de 1507, esse mapa é, sem dúvida, o primeiro do mundo a trazer o nome América. O próprio cartógrafo alemão, Martin Waldseemüller, que o desenhou tinha sugerido, em 1507, chamar assim a nova terra descoberta por Cristóvão Colombo, com o nome de um de seus companheiros, Américo Vespúcio.

Créditos: World Digital Library.


Futura-Science, abril de 2009 (Tradução - MIA).


Nota do Scientific Editor: o Brasil fez contribuições significativas ao projeto, disponibilizando grande quantidade de material do acervo da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro). Caso queira conferir o material em português da World Digital Library acesse o link www.wdl.org/pt.


 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco