LQES
lqes cultural
ano internacional da Química

arte e ciência

cultura das ciências

links culturais

 
ANO INTERNACIONAL DA QUÍMICA


Marie Salomea Sklodowska-Curie : Homenagens - Parte II.


No Panthéon, em Paris



Panthéon, em Paris.

Créditos: LQES (OLA).


Inicialmente sepultada em Sceaux (França), no jazigo da família Curie, suas cinzas foram transferidas, com as de seu marido Pierre Curie, para o Panthéon, em Paris, em 20 de abril de 1995, por decisão do presidente François Mitterrand e na presença do presidente polonês Lech Walesa. Marie Curie é ainda a única mulher homenageada no Panthéon por seus próprios méritos.


Museu Curie




Prédio onde funciona o Museu Curie (Paris).

Créditos: Himetop.





Uma das salas do Museu Curie (Paris).

Créditos: Himetop.



No interior do Instituto Curie, em Paris, foi edificado o Museu Curie, no próprio lugar onde a cientista trabalhou até sua morte. Inteiramente gratuito, o museu propõe ao público descobrir um rico patrimônio científico e retraça - através do percurso pessoal e profissional da família, nos cinco prêmios Nobel -, as grandes etapas da história da radioatividade e da luta contra o câncer.


Outras homenagens celebram sua memória:

Elemento

  • O elemento atômico no 96, descoberto em 1944, foi batizado curium, em honra de Pierre e Marie Curie.



Universidades, ensino

A Universidade Paris 6, na França, tem o nome de Universidade Pierre e Marie Curie.



Universidade Pierre e Marie Curie (Paris 6), Jussieu, após a reforma.

Créditos: LQES (OLA).


  • A universidade pública de Lublin, na Polônia, tem o nome de Universidade Maria Curie-Sklodowska. Uniwersytet Marii Curie-Sklodowskiej w Lublinie.




Universidade Maria Curie-Sklodowska, em Lublin, Polônia (Uniwersytet Marii Curie-Sklodowskiej w Lublinie).

Créditos: UMCS.


  • Em Poitiers (França), uma cidade universitária traz seu nome, próxima de uma rua que também tem seu nome.

  • A Marie Curie Fellowship Association é um programa de auxílio à mobilidade geográfica, para jovens pesquisadores europeus.

  • Liceus franceses trazem o nome de Marie Curie em Échirolles, Marseille, Norgent-sur-Oise, Sceaux, Satrasbourg (que criou a Schulradio « Marie Curie»), Tarbes e Versailles.

  • Colégios franceses portam o nome de Marie Curie, especialmente em Bernay, em Désertines (Allier), em Luinel (Hérault), em Paris (18e), em Pignan (Hérault, em Provins, em Rion-des-Landes, em Saint-Amand-les-Eaux, em Saint-Laurent-Nouan (Loir-et-Chair), em Tourcoing, em Tournon-sur-Rhône (Ardèche), em Troyes, etc.

  • Liceus poloneses trazem o nome Marie Curie (Liceum Ogólnoksztalcace im. Marii Sklodowskiej-Curie, especialmente em Varsóvia (XXIII Liceum Ogólnoksztalcace, em Katowice (VIII Liceum ogólnoksztalcace), em Gorzow Wielkopolski (II Liceum Ogólnoksztalcace), em Czechowice-Dziedzice, e Andrychow.

  • O Colégio Francês de Montreal batizou um de seus prédios como Pavillon Marie-Curie, mais precisamente o pavilhão das ciências. O Instituto Nacional de Ciências Aplicadas (INSA), de Lyon, "fundiu", em novembro de 2009, suas duas principais bibliotecas, sob o nome Bibliothèque Marie Curie, inaugurada em abril de 2010.


Emissões Monetárias

  • Em uma nota de 500 francos franceses foi feita a efígie de Marie e Pierre Curie.



Nota de 500 francos franceses.

Créditos: European Central Bank.


  • Em uma nota de 20.000 zlotys poloneses foi feita a efígie de Marie Curie.



Nota de 20.000 zlotys poloneses.

Créditos: Governo da Polônia.

  • Em 1984, três peças (cunhadas por prensagem) de 100 francos têm sua efígie: em prata BU, prata e ouro, cunhadas por ocasião do cinquentenário de sua morte.

  • Em 1997, duas peças (cunhadas por prensagem) têm a efígie de Marie e Pierre Curie: 100 francos prata e 500 francos ouro.

  • Em 2006, duas peças (cunhadas por prensagem) de 20 euros têm sua efígie, em prata e em ouro.



Museus

  • Museu em Varsóvia (Ulica Freta 16) (Polônia).



Museu Marie Curie, em Varsóvia.

Créditos: Webshots.


  • Museu Curie, em Paris (11, rue Pierre e Marie Curie, Paris 5e)


Monumentos

  • Monumento em Lublin (Universidade Marie Curie-Sklodowska) (Polônia).




Monumento a Marie Curie, em Lublin (Polônia).

Créditos: Wikipedia.

  • Monumento em Police (Polônia).


No teatro e no cinema

Em 1989, a vida e o trabalho de Pierre e Marie Curie inspiraram uma peça de teatro, Les Palmes de Monsieur Schutz, criada por Jean-Noel Fenwick, no Théâtre des Mathurins. Esta peça recebeu quatro Molières em 1990, dos quais o de melhor diretor e melhor autor.




Cartaz da peça Les Palmes de Monsieur Schutz, encenada em 2010.

Créditos: GoodGirls.



A vida de Marie Curie inspirou vários cineastas. O papel de Marie Curie foi interpretado por:

  • Greer Garson, em Madame Curie, filme americano de Marvyn LeRoy, lançado 1943;

  • Nicole Stephane, em Monsieur et Madame Curie, filme francês de Georges Franju, lançado em 1953;

  • Olga Gobzeva, em Mysli o radiatsii (Pensées à la radiation), filme soviético de Elmira Chormanova, lançado em 1980;

  • Marie-Christine Barrault, em Marie Curie, une femme honorable, realização de Michel Boisrond, lançado em 1990;

  • Isabelle Huppert, em Les Palmes de M. Schultz, filme francês de Claude Pinoteau, lançado em 1997.


Biografias

  • Ève Curie, Madame Curie, Paris, Gallimard, 1938.
  • Marie Curie, Irène Joliot-Curie e Gillette G. Ziegler, Correspondance.
  • Marie Curie e Irène Joliot-Curie, Prace Marii Sklodowskiej-Curie.
  • Françoise Giroud, Une femme honorable, 1981.
  • Susan Quinn, Madame Curie, Ed. Odile Jacob, 1996.
  • Per Olov Enquist, Blanche et Marie, romance, 2004.
  • Xavier Laurent-Petit, Madame Curie, 2005.
  • Barbara Goldsmith, Madame Curie, portrait intime d'une femme d'exception, 2006.
  • Brigitte Labbé e Michel Puech, Madame Curie, 2006.
  • Henry Gidel, Madame Curie, Flammarion, 2008.


Links relacionados

Wikipedia (fr, en) (Tradução e Adaptação - MIA).


Comemorações do Ano Internacional da Química 2011 (AIQ).


Valerie Pécresse, Ministra do Ensino Superior e da Pesquisa da França prestou homenagem a Marie Curie, na Abertura do Ano Internacional da Química, lançado na UNESCO, 27 de janeiro de 2011. A ministra também lembrou que os primeiros resultados dos convites à apresentação de projetos de investimento para o projeto AIQ mostram que "os químicos estão mobilizados e as suas ambições científicas estão entre as mais notáveis".

A integra do discurso (em francês) pode ser lida clicando aqui.


 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco