Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
 alunos e alumni 
alunos

alumni

cadastre-se
 
ALUMNI 

Ricardo Romano, Mestrado (2001)
email: rromano@iqm.unicamp.br

Fosfatos ácidos de metais tetravalentes: intercalação de espécies orgânicas e potencialidades na preparação de nanocompósitos com polianilina e nylon-6

Resumo 

Neste trabalho, o fosfato ácido de cério (IV) (CeP) e o a-hidrogenofosfato de germânio (a-GeP), foram utilizados como matrizes hospedeiras em processos de intercalação de bases de Lewis fortes (monoaminas alifáticas), base de Lewis fraca (e-caprolactama), e um aminoácido (ácido e-aminocapróico), que apresenta basicidade intermediária e dois sítios passíveis de formar interações com o hospedeiro. Verificou-se também as potencialidades destes materiais lamelares em originar nanocompósitos organo-inorgânicos com um polímero condutor: a polianilina, e um polímero cuja principal característica é a sua pronunciada resistência mecânica: o Nylon-6.

Com base num estudo recente, desenvolvido no LQES, foram preparadas três matrizes de CeP, todas com morfologia fibrosa, porém diferindo nos seus graus de cristalinidade. Por outro lado, na síntese do a-GeP, objetivou-se acompanhar a sua evolução estrutural frente ao parâmetro de síntese: tempo de reação, bem como um melhor entendimento do seu processo de formação na reação entre GeO2 e H3PO4.

Os compostos de intercalação obtidos foram investigados com o intuito de se compreender as interações hospedeiro-convidado presentes nestes sistemas e também a relação entre a natureza destas interações e a ocorrência da intercalação.

Na preparação dos nanocompósitos organo-inorgânicos envolvendo o Nylon-6, o CeP mostrou-se inadequado devido à sua instabilidade frente ao aquecimento, etapa necessária na condensação das unidades monoméricas para a formação do polímero. Por outro lado, observou-se que a anilina pode ser polimerizada na sua superfície mediante um processo redox juntamente com os íons Ce (IV).

Com relação ao a-GeP, foram obtidos nanocompósitos bidimensionais tanto com o Nylon-6, como com a polianilina. Em ambos os casos, o material obtido é caracterizado pela alternância de camadas do fosfato e do polímero.

[Capes]

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco