Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Pilha a combustível de metanol para computadores portáteis.

Graças à Toshiba, computadores portáteis, num futuro próximo, já poderão funcionar com pilha a combustível de metanol. O protótipo de tal pilha foi apresentado em Hanover (Alemanha), durante a Exposição Cebit, ocorrida de 12 a 19 de março.

Contando com reservatórios de 50 a 100 cm3, a DMFC (Direct Methanol Fuel Cell), após dez anos de pesquisa, tornou possível a obtenção de uma pilha que fornece uma potência média de 12 W (20 W no máximo), com uma autonomia de 5 a 10 horas de funcionamento.

A pilha a combustível funciona em virtude da criação de uma corrente elétrica entre dois pólos. Um dos pólos é constituído pelo metanol-óxido e, o outro, pelo oxigênio reduzido, o qual produz água.

Tal característica foi engenhosamente explorada pelos engenheiros da empresa. A concentração do metanol deve estar compreendida entre 2% e 6 %, para que este se oxide. Assim, o reservatório contaria com um volume muito grande. A Toshiba, então, logrou operar uma redução no tamanho, com o metanol puro, que é diluído graças à água produzida pela redução do oxigênio.

Baseado neste artifício, o sistema se mantém em funcionamento e o tamanho do reservatório (antes muito grande) pode ser dividido por 10.

A Toshiba prossegue com suas pesquisas visando à miniaturização do protótipo, uma vez que este ainda é grande - pesa 900 gramas - e, logicamente, não está ainda integrado ao computador portátil.

Pesando de 72 a 120 gramas, os cartuchos contêm metanol em alta concentração, fato que constitui a principal inovação da empresa.

Em 2004, a Toshiba acredita já estar produzindo as pilhas do tipo DMFC.

Le Monde, 06 Mars, 2003. (Tradução/Texto - MIA)

<< voltar para novidades

 © 2001-2019 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco