Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas

 
NOVIDADES

Membranas de separação de gases têm sua seletividade e permeabilidade molecular altamente incrementadas.

A seletividade e a permeabilidade molecular de uma membrana de separação de gás foram consideravelmente aumentadas graças à injeção de íons. Deve-se o fato a M. Hiroyoshi Kawakami, da Universidade Metropolitana de Tókio (Japão).

É bem difícil se conseguir uma membrana de separação de gás que conjugue as duas características. A permeabilidade diz respeito à velocidade com a qual as moléculas atravessam a membrana, enquanto que a seletividade está relacionada à escolha da natureza das moléculas que devem atravessar a membrana.

A injeção de íons na membrana, técnica utilizada por Kawakami, é um método usado em litografia de semicondutores. Com o auxílio de uma fonte de íons desenvolvida pelo RIKEN, o pesquisador fez bombardear uma membrana de poliimida, de 3 micrometros de espessura, com a ajuda de um feixe de íons hélio.

A permeabilidade dessa membrana para as moléculas de oxigênio (0,33 nm) aumentou de 16 vezes, enquanto que para as moléculas de nitrogênio (0,34 nm), um pouco menos que 5 vezes. Quanto à seletividade para uma mistura gasosa de oxigênio e nitrogênio, tornou-se 3,3 vezes mais eficiente.

Conforme M. Kawakami, o bombardeamento iônico da membrana teria causado uma deformação nas cadeias laterais do polímero, fato que teria modificado a difusão das moléculas de gás através da membrana, fenômeno este que foi igualmente constatado para outras moléculas gasosas.

O pesquisador uniu-se a empresas e a coletividades locais e, atualmente, vem estudando a separação de gases biológicos oriundos de biomassa. Acredita que, graças a esse método, se as membranas de enriquecimento em oxigênio atuais puderem ser melhoradas, poderão ser aplicadas na combustão em veículos e em processos industriais.

Nikkan Kogyo, September 04, 2003. (Tradução/Texto - MIA)

<< voltar para novidades

 © 2001-2019 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco