Laboratório de Química do Estado Sólido
 LQES NEWS  portfólio  em pauta | pontos de vista | vivência lqes | lqes cultural | lqes responde 
 o laboratório | projetos e pesquisa | bibliotecas lqes | publicações e teses | serviços técno-científicos | alunos e alumni 

LQES
lqes news
novidades de C&T&I e do LQES

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

LQES News anteriores

em foco

hot temas
 
NOVIDADES

Intel lança primeiro processador de 45 nm : é o Core 2 Quad chegando !

A Intel acaba de lançar um novo processador, o Core 2 Quad QX9656, primeiro de uma nova série que utiliza processo de gravação em 45 nanômetros (contra os 65, atualmente). Para lançar essa nova produção, a Intel escolheu um modelo em quatro core (daí, Quad), contudo, a família Core 2, que contém circuitos de 2 "cores", também terá suas próximas versões gravadas em 45 nanômetros.

Esse processador inaugura uma nova arquitetura, batizada com o nome Penryn. No essencial, ele difere do precedente (Conroe) não só por essa gravação mais fina, mas também pela adoção de uma nova estrutura no interior dos transistores. O óxido de silício é substituído pelo óxido de háfnio, cuja constante dielétrica é mais alta. A Intel fala em tecnologia High-K, onde K designa essa constante dielétrica, e já havia apresentado tal solução em 2006, no estágio de pré-produção. Neste caso é possível obter transistores, ou portas (Gates, em inglês), de menor tamanho.

A redução de dimensões conduz a um salto quantitativo, ainda que a superfície do chip tenha diminuído. Com um duplo core, o número de transistores passa de 290 para 410 milhões, e a memória cache atinge 6 MB. Sobre esse Core 2 Quad, em quatro cores, os números são multiplicados por dois. Pequena revisão histórica, e mesmo pré-histórica: Em 1983, a IBM seduzia as empresas com um PC XT, dotado de grande disco rígido, com capacidade de não menos de 10 MB.





A nova fábrica Fab32, da Intel, está instalada no Arizona (EUA).

Créditos: Intel



A velocidade é ultrapassada

Quanto à freqüência do relógio, a Intel anuncia 3 GHz, ou seja, um valor similar àqueles dos circuitos atuais. Parece ter-se acabado o tempo em que se media em hertz as performances de um processador. Hoje, a Intel prefere falar de consumo de eletricidade. Os novos circuitos podem deixar um core dormindo e mesmo passar overclock (técnica que permite aumentar a freqüência do processador, fazendo com que ele funcione mais rapidamente). No final de outubro de 2007, a Intel inaugurou uma nova fábrica, batizada Fab32, instalada no Arizona (EUA). Trata-se da primeira unidade de produção em massa onde é utilizada a gravação em 45 nanômetros e a tecnologia High-K. Até o momento, essa não fora atingida senão em uma outra fábrica (no Oregon, EUA), mas com produção limitada. Trata-se de um investimento pesado (três bilhões de dólares), para uma fábrica capaz de fabricar bolachas (wafers) de 300 milímetros, na razão de mais de 20.000 por ano, e segundo métodos, afiançam-nos, que respeitam mais o meio ambiente.





Grande plano sobre uma bolacha de 300 mm gravada em 45 nm.

Créditos: Intel



A Intel, assim, tomou a ponta em relação a AMD que ainda não apresentou seus Phenon X e FX, processadores de dois e quatro cores, baseados na nova arquitetura K 10. Previstos inicialmente para o primeiro trimestre de 2007, eles somente chegarão ao mercado no quarto trimestre. Mas, a continuar assim, a concorrência será acirrada. O ano 2008 começará, portanto, com uma oferta de processadores completamente renovada. Eis, mais uma vez, a vantagem de se esperar antes de comprar um novo PC...

Futura-Sciences (www.futura-ciences.com), consultado em 04 de novembro, 2007 (Tradução - MIA).


Assuntos conexos:

Chips gravados em 45 nm: IBM e Intel apostam suas fichas na nova tecnologia!

Macroinvestimentos para nano dispositivos.


<< voltar para novidades

 © 2001-2017 LQES - lqes@iqm.unicamp.br sobre o lqes | políticas | link o lqes | divulgação | fale conosco